O que o processo de Scarlett Johansson significa para a Disney?

 O que o processo de Scarlett Johansson significa para a Disney?

Muitos se perguntam sobre o efeito que a ação judicial de Scarlett Johansson devido ao seu contrato com Viúva Negra terá na Disney, na Marvel Studios e na forma como Hollywood lida com os serviços de streaming em andamento. Enquanto alguns questionam os méritos do caso de Johansson, alguns peritos jurídicos especulam que mudanças radicais poderiam vir de uma atriz que possui tanto destaque. Levantando a questão de como os artistas profissionais ganham suas recompensas pelo seu trabalho em produções multimídia. No mínimo, a Disney pode renegociar alguns contratos com as suas maiores estrelas para evitar uma onda de processos judiciais semelhantes.


O início

A polêmica começou a 29 de julho, quando Scarlett Johansson entrou com um processo contra a Disney. Alegando, assim, que a empresa agiu de má fé ao libertar simultaneamente Viúva Negra nos cinemas e no serviço de streaming da Disney+. O contrato de Johansson com os Estúdios Marvel para Viúva Negra baseou o seu salário final nos recibos de bilheteira do filme. No entanto, aparentemente não ofereceu nenhum bônus baseado nas receitas dos downloads digitais.

processo scarlett Johansson

Embora os detalhes exatos do contrato de Johansson não sejam conhecidos publicamente, as ações da Disney provavelmente custaram a atriz milhões de dólares em receitas de bônus. Robert Downey Jr., por exemplo, tinha um contrato semelhante para Vingadores: Ultimato. Ganhando, assim, mais de 50 milhões de dólares do seu bônus de receitas de bilheteira. A Disney atacou o processo judicial de Johansson numa declaração oficial, dizendo que não havia “nenhum mérito” para as suas reivindicações.

O lançamento dos streamings tem gerado bastante confusão entre as empresas e os atores. Embora tais pagamentos residuais sejam hoje um benefício padrão para os atores de cinema, ainda são bastante controversos. Desde então, travam batalhas semelhantes para obras retransmitidas em streamings, tais como Netflix e Hulu. Na era pós-pandémica, os estúdios podem muito bem ter de repensar os contratos em que os retornos de bilheteira constituem a maior parte do salário do ator para manter o bem-estar e disposição de trabalhar com eles.


Como será o processo?

Legalmente, a ação judicial de Johansson pode estar em terreno instável. Dada a afirmação de que a Disney fez com que a Marvel violasse os termos do seu contrato com Viúva Negra através de uma interferência ilícita, em vez de uma ação judicial mais direta. Embora a diferença possa parecer relativamente menor para um leigo, é uma distinção legal importante. Ao passo que as disputas contratuais são tradicionalmente tratadas num tribunal privado. Um caso de interferência ilícita, contudo, pode ser julgado publicamente.

processo scarlett Johansson

O que poderia ser preferível se o objetivo de Johansson fosse chamar a atenção para a sua causa ou embaraçar a Disney para que esta concordasse com os seus termos. E se outros atores se juntarem à causa de Johansson, então os estúdios poderão descobrir que não têm outra escolha senão renegociar a forma de como tratar os contratos. Sendo de um jeito mais equitativa e justa para os atores.

Em qualquer um dos casos, o processo judicial de Johansson por causa do seu contrato de Viúva Negra foi além. Outros atores cujos filmes lançados simultaneamente nos cinemas e na Disney+ este ano estão começando os seus próprios processos judiciais contra a Disney. Incluindo a estrela de Cruella, Emma Stone. No final, pode revelar-se mais rentável para a Disney seguir o exemplo da HBO+. Rever os termos dos seus contratos para oferecer um bônus aos atores com base nos lucros do seu serviço de streaming do que tentar combatê-los em tribunal.

O que você acha de tudo isso? Deixe nos comentários.

Comentários